quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Como um diário no Facebook melhorou minha produtividade e trouxe resultados positivos em minha vida.

Eu sempre fui um defensor das redes sociais. Inclusive, meu TCC foi sobre o impacto das redes sociais sobre o espaço geográfico. Claro que entendo todo aquele ponto de vista de que a tecnologia distancia quem está próximo, embora eu acredite que a tecnologia é só um pretexto para nos distanciarmos. Mas ainda defendo que quando bem utilizada, a tecnologia na atual Sociedade da Informação pode trazer grandes vantagens aos relacionamentos e a nós mesmos.




Talvez um dos principais motivos de eu preferir as redes sociais em termos de interação humana é que tenho uma certa dificuldade em me expressar com as pessoas. Como um escritor eu tenho mais facilidade em dizer o que penso através da escrita do que da fala. Conversar com pessoas é uma atividade que demanda muita energia desgaste emocional e geralmente não me sinto à vontade em ambientes com muita gente.

Mais ou menos em agosto do ano passado, comecei com uma prática de escrever um diário no Facebook contando, de forma cômica, algumas vitórias e desgraças da minha vida. Meu primeiro relato foi no dia primeiro de agosto e tudo o que eu queria era apenas desabafar sobre minha trajetória para o projeto de intercâmbio que eu quero fazer para Vancouver. Mas isso acabou se transformando em um Hábito que me trouxe algumas vantagens pessoais.

O primeiro registro de meu diário

Auxílio na minha dificuldade em conversar

Uma das primeiras vantagens que percebi em escrever um diário é que isso melhorou minha interação com pessoas. Uma das minhas maiores dificuldades em conversar, principalmente com quem conheço a pouco tempo, é que sinto como se estivesse incomodando a outra pessoa ou que ela talvez não queira ouvir sobre a minha vida. No caso do diário a pessoa lê se quiser. E isso repercutiu na minha vida pessoal offline. As pessoas passaram a conversar mais comigo, inclusive pessoas que eu não via há tempos se interagiam mais. Algumas não interagiam com as postagens, mas conversavam comigo sobre elas pessoalmente.

Em uma era em que todos tentamos ser perfeitos nas redes sociais, eu comecei a colocar as coisas ruins que aconteciam em minha vida. Passei a mostrar para as pessoas as poucas vitórias e os numerosos fracassos. E por incrível que pareça, a sinceridade presente em minha vida virtual a tornou mais humana, influenciando na minha vida real. Algumas pessoas me falavam que admiravam essa atitude. Esse diário se tornou uma forma cômica de me expressar e contar aos outros minhas frustrações e conquistas.

Sinto que as pessoas se importam mais comigo e até torcem por mim. Em alguns casos recebi mensagens de pessoas dizendo que meus diários estavam incentivando-as a melhorarem suas vidas ou correrem atrás de seus sonhos. 

Melhorou minha vida profissional


A segunda vantagem foi a ajuda nos negócios. Quando comecei a vender trufas e só recebi “não” no primeiro dia, compartilhei esse imenso fracasso em meu diário. Em respostas, amigos e familiares deram apoio se comprometendo a quebrar meu recorde de zero trufas vendidas. Não demorou muito para eu manter um registro de vendas em cada capítulo e logo, as pessoas começarem a se lembrar de mim quando pensavam em comprar trufas. Ou me perguntavam das trufas ao me encontrar na rua.



Um registro e desabafo se converteu em oportunidades

Creio que não foi simplesmente por anunciar as trufas, mas exatamente pela proximidade humana que se estabeleceu entre mim e essas pessoas através dessa prática que conseguimos vender muitas trufas por algum tempo.

Minha produtividade melhorou

Uma terceira vantagem, a qual acredito que pode ser útil à qualquer um, mesmo que não seja um diário online, foi em produtividade. Sempre fui um procrastinador. Falhei em vários objetivos exatamente por procrastinar demais, até mesmo no Facebook. Perco meu tempo com coisas fúteis e não produzo nada. O diário me mantém focado. Eu tenho que fazer algo da minha vida para ter algo para contar em meu diário.

Depois de algum tempo, passei a utilizar o diário também como um relatório de quantas palavras escrevo por dia ou um relatório de minha jornada profissional como escritor. Priorizei mais a informação de quantas palavras eu escrevo do que quantas trufas eu vendo, o que curiosamente resultou em uma queda nas vendas mas um aumento na minha escrita.


Definir quais informações colocarei em meu diário me incentiva a cumprir tarefas que realmente importam ao longo do dia.  Se a prioridade for vender, minha disposição para vendas é bem maior que as demais. Quando priorizo a quantidade de palavras, minhas energias se voltam para a escrita.

Em dias de pouca produtividade, eu não tenho muita coisa para escrever no diário e isso me faz sentir mal. Atualmente tenho mais disposição e para trabalhar e investir em coisas que importam do que antes, mesmo que ainda reserve um tempo para jogos e diversão.

Conhece-te a ti mesmo


Além de estimular a criatividade e produtividade, nos desafiando a cada dia, o diário ajuda na memória e avaliação pessoal. Todos os dias, ao sentar na frente do computador, tenho um momento em que avalio o meu dia. Todos os pontos positivos e negativos e consigo identificar onde estou errando e áreas que preciso melhorar.

Consegui identificar em minha vida os horários em que mais procrastino e meu vicio exagerado em jogos e vídeo-games. A partir disso, tracei estratégias para diminuir a quantidade de horas jogando vídeo-game e aumentar a quantidade de horas trabalhando e investindo em meu desenvolvimento.

Vale lembrar que, obviamente, não narro tudo em meu diário. Com certeza seleciono as informações que pretendo mostrar. Há coisas que pessoas me pedem para não escrever e há momentos em minha vida que não me sinto à vontade de compartilhar publicamente. No entanto, não posso negar que esta prática mostrou alguns resultados positivos na minha vida pessoal e profissional

Eu não sei por quanto tempo meu diário no facebook durará. Mas a pratica de escrever um diário certamente é algo que manterei e recomendo. Mesmo que não seja um diário virtual, experimente, por alguns meses, manter um relato do seu dia-a-dia. Se aceita um outro conselho para deixar um pouco mais divertido, todo mês, ao ultimo dia, eu recomendo uma música ao fim do diário. Essa geralmente é a musica que mais exprime minhas emoções no momento, que serviu de “trilha sonora” ao longo das dificuldades daquele mês ou simplesmente é uma música ou banda legal que tenho ouvido e quero que meus amigos conheçam.

Agora, se me dão licença, preciso escrever o diário de hoje e jantar. Pois ainda não jantei... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário