quinta-feira, 1 de junho de 2017

O poder das palavras

As ultimas semanas tem sido bem intensas para mim. Com pontos altos, depois pontos tão baixos que eu mal queria sair do meu quarto e em seguida pontos altos novamente. Acredito que a vida inteira deve ser assim. Um misto de dor e alegria numa longa e árdua jornada.


Uma dura conversa com uma pessoa me deixou extremamente abalado e depressivo. Na verdade, não foi apenas uma unica conversa, mas quase todas as vezes que converso com essa pessoa, suas palavras tem me causado um mal estar psicológico. O fato é que, muitas da coisas dita por essa pessoa eu estou de acordo, na verdade, são coisas que tenho refletido em minha vida nos últimos dois ou três anos. Outras coisas eu discordo completamente, reconhecendo que são casos de nossas personalidades distintas do que, de fato, estar certo ou não. Mas, de algum modo, o modo como essa pessoa diz e as palavras por ela usadas me causavam esse sentimento de solidão, fracasso e dor.

Do mesmo modo, depois de desabafar e pedir orações a algumas pessoas, coisas incríveis começaram a acontecer. Diversas pessoas me mandaram palavras de conforto, seja por whatsapp, pessoalmente ou em comentários no facebook. Algumas dessas pessoas eu nem tinha ido atrás. Elas simplesmente apareceram com boas mensagens. E essas palavras me animaram de novo, como se trouxessem cores quentes para dentro do mundo de cores cinzas e frias em que eu acabei caindo. Era quase como se eu estivesse sendo abraçado e confortado fisicamente através das palavras escritas por aquelas pessoas.

Isso tudo me fez perceber o quão poderosas podem ser as palavras. As vezes não percebemos isso simplesmente por que somos acostumados a falar demais. Não é a toa que no livro “O guia do mochileiro das galáxias” Ford Prefect pensou que os lábios dos terráqueos grudariam se não falarmos o tempo todo. Nós falamos demais e poucas vezes paramos para pensar o poder que nossas palavras tem. Basta fazer um jejum de silêncio e tentar ficar um dia ou uma semana sem falar nada ou falando apenas o essencial que percebemos quantas palavras desnecessárias nós falamos. Claro que, como escritor (ou pseudo-escritor) eu já sabia que as palavras são ferramentas poderosas, mas eu não tinha ideia disso até presenciar esse poder agindo na minha vida.

Através das palavras podemos causar sentimentos. Pode imaginar o quão poderoso é isso? Não é a toa que Paulo recomenda aos cristãos da cidade de Colossos “que suas conversas sejam sempre agradáveis e de bom gosto, e que vocês saibam também como responder a cada pessoa” (Colosensses 4:6). Paulo não é o único. Na carta de Thiago lemos sobre o quão é importante controlarmos nossa língua (Tg 1:26e Thiago 3:2–4). Tiago também disse que todos nós devemos ser “prontos para ouvir, mas tardios no falar” (Tg1.19).

As palavras são poderosas e podem ser usadas tanto para o bem como para o mal. Através delas, Martin Luther King Jr liderou uma luta por direitos iguais para os negros e as minorias nos Estados Unidos. Através delas, também, Hitler convenceu uma nação inteira de que Judeus são seres inferiores e dizimou diversos judeus em campos de concentração. Através de palavras elegemos políticos corruptos, nos convencendo de que eles são a solução para a corrupção que eles mesmos praticam. Através de palavras conseguimos também tirar presidentes e lutar pela democracia em países onde não há liberdade de expressão. Através de pregações alguns pastores enriquecem através da custas de fiéis. Através de um discurso, Pedro converteu quase 3000 pessoas ao cristianismo em um único dia (At. 2:41). Palavras são capazes de entrar em nossa subconsciência, gerar emoções e direcionar essas emoções.

Em João 7 alguns sacerdotes e fariseus mandaram guardas prenderem Jesus. Depois de ouvirem o próprio jesus falando, estes guardas voltaram aos sacerdotes com as mãos abanando. Quando questionados o porquê de não cumprirem a ordem estes responderam que “Nunca ninguém falou como ele” (Jo 7:46). O modo como Jesus falava era tão importante quanto o que Jesus falava. Certamente você ja passou pela experiência de ler ou ouvir alguma coisa que te fez sentir-se revigorado e disposto. E, talvez você também tenha passado pela experiência contraria de ter lido ou escutado algo que te fez sentir-se desanimado e indisposto. Dependendo das palavras usadas, da maneira como são usadas, sentimentos diferentes podem surgir em nós.

O poder de manipular sentimentos e sensações. Esse é o poder das palavras. Lembro até hoje quando li “Preciosa” pela primeira vez e chorei junto com a protagonista quando ela leu uma frase inteira pela primeira vez em sua vida. Em Nárnia eu sentia uma paz inexplicável toda vez que Aslam aparecia. Em Jogos Vorazes, senti até fome enquanto lia o que Katniss Everdeen comia na capital e senti sede quando ela foi jogada na Arena sem nenhum recurso. Os capítulos de Maze Runner me causavam uma adrenalina imensa de literalmente me tirar o fôlego (as vezes eu me pegava respirando fundo enquanto lia, quase como se eu também corresse pelo labirinto). As palavras naqueles livros me ensinaram coisas, me emocionaram e me fizeram me apaixonar por personagens que nem existem em nosso mundo material, mas são bem reais para quem lê esses livros. As vezes a escolha específica de uma palavra, mesmo que tenha o mesmo sentido, pode dar uma entonação diferente em uma mesma frase.

Como escritor, tenho que aprender a dominar esse poder das palavras de tal modo que consiga causar sentimentos e sensações em pessoas só de elas lerem o que escrevo. Isso é difícil, mas quanto mais percebo o quão poderosas são as palavras, mais eu sinto o peso da responsabilidade de saber utilizá-las.

Se ainda lhe resta duvidas quanto ao poder das palavras, devo lembrar-lhe que em Genesis, Deus criou o mundo inteiro apenas dizendo o que deveria existir. Com exceção dos seres humanos que foram cuidadosamente trabalhados por Deus, praticamente todo o resto, foi feito na base do “Então Deus disse”. Uma das coisas que mais aprecio nos livros de fantasia é essa incrível habilidade de criar mundos apenas com palavras preenchendo uma folha me branco. Mesmo nem chegando aos pés de Deus criando um mundo a partir do vazio e da escuridão, me admira ver homens como C.S. Lewis, Tolkien ou George R. R. Martin criando mundos tão complexos que parecem reais.

Palavras são capazes de criar mundos, ou destruí-los. Por causa das palavras de alguém, meu mundo quase ruiu. Mas graças às palavras de diversas pessoas queridas, meu mundo se estabilizou novamente. Eu me lembrei de quem eu sou. Não estou dizendo que não devemos ser duros com algumas pessoas. Ou que devemos sempre passar a mão na cabeça dos outros. O que estou dizendo é que temos, em nosso alcance um poder gigantesco através das palavras e cabe a nós usá-las da melhor forma. As vezes, ser brando e calmo pode funcionar melhor do que chamar atenção. Ou fazer questionamentos pode ser melhor do que afirmações. As vezes, temos que ter cuidado com como vamos comunicar algo para alguém, mesmo sendo calmos. Termos certeza de falar as palavras certas para estimular animar a pessoa ao invés de fazê-la sentir-se um lixo.

Em alguns casos, até mesmo uma verdade, quando dita de maneira errada pode provocar o oposto do que queremos. Em meu caso, algumas verdades ditas de forma tão agressiva quanto um soco no estômago, ao invés de me motivar a seguir em frente, quase me fizeram desistir de tudo. Em outros momentos, palavras duras e sérias foram o que me fizeram dar mais um passo.

A verdade é que, sendo você um escritor ou não, suas palavras tem um poder imenso. Podem ser duras ou brandas. Mas sem amor em nossas palavras não importa o quanto a dominemos. Assim como é dito em 1ª Corintios 13, mesmo se você dominar todas as línguas da Terra e do céu, sem o amor, não adianta nada.

Em proverbios 12:18 o sábio diz: “ Há palavras que ferem como espada, mas a língua dos sábios traz a cura”. Prestemos mais atenção ao que falamos e como falamos. Vamos nos exortar com amor. É muito fácil, durante uma discussão (e discussões são inevitáveis) nos alterarmos e perdermos o amor em nossas falas. Antes de falar, pare, pense, respire e escolha as palavras cuidadosamente. Não vale a pena falar, se nossas palavras vão machucar alguém. Muitas vezes nossas palavras são carregadas de nossos sentimentos e vontade de machucar alguém. E seja seu falar manso. A menos que seja necessário. Mas de todo modo, utilize suas palavras com sabedoria. Elas são poderosas e depende do modo como você as utiliza para destruir alguém ou salvar uma vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário